04/11/2016
O XVIII Congresso Sul-Brasileiro de Ginecologia e Obstetrcia e o III Congresso Sul-Brasileiro de Mastologia reuniu cerc

O XVIII Congresso Sul-Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia e o III Congresso Sul-Brasileiro de Mastologia reuniu cerca de 655 participantes entre os dias 27 e 29 de outubro, em Foz do Iguaçu, no Paraná. O tema oficial desta edição foi Das evidências à prática.

 

Além das palestras, que abordaram temas importantes da atualidade e do cotidiano dos consultórios, o evento ainda apresentou 134 trabalhos científicos, selecionados nas Universidades do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O diretor científico da SOGIPA, Dr. Almir Antônio Urbanetz, lembrou que destes, nove foram selecionados e apresentados durante o evento como temas livres. 

Para o Dr. Almir, apesar das dificuldades de patrocínio, o Congresso foi feito e ficou dentro das expectativas. Sobre a programação científica, que foi apresentada, ele explicou que a SOGIPA, junto com com as Federadas de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, formou uma comissão interna que decidiu optar por temas que contemplassem o dia a dia dos GOs, seja no consultório, no ambulatório, ou nos hospitais. Para o diretor científico, unir em um Congresso os três estados do sul é necessário porque é uma região importante do país, com nível intelectual alto e, principalmente com uma produção científica muito boa. Então eu acredito que é um evento já consagrado. E em todos que eu participei, desde a segunda edição, apresentaram temas importantes que seguramente contribuíram para formação e atualização do ginecologista obstetra.   

Dr. Almir ainda lembrou que neste ano foi a primeira vez que no Paraná o Congresso de Ginecologia aconteceu junto com o de Mastologia. Me parece que é uma organização boa e que contribui muito, já que tem muito GO que atende mastologia no consultório na parte, principalmente de propedêutica, de investigação, e têm muitos mastologistas que vêm para se atualizar mais na parte de mama. Estou muito satisfeito com o evento. 

 

Veja a opinião de alguns participantes do Congresso:

A Dra. Maria do Rosário, de Veranópolis, Rio Grande do Sul, avaliou o Congresso como uma grande oportunidade de integração entre os colegas e de troca de conhecimento. Ela ainda elogiou os temas abordados nas mesas de discussões. Foi tratada toda a clínica ginecológica que a gente lida no dia a dia no consultório, isso é muito importante pra nós que não temos muito tempo para atualizações. 

O Dr. Renato César Polli, de Florianópolis, Santa Catarina, lembrou que ter no mesmo evento salas de ginecologia, obstetrícia, mastologia, defesa profissional e reprodução humana enriqueceu ainda mais o evento. Ele destacou também que o Congresso reuniu temas relevantes, bem atuais e pertinentes. Gostei muito.  

O Dr. Júlio de Assis Arruda, que é de Santo Antônio da Platina, no Paraná, ficou satisfeito com o Congresso. Os temas foram bem escolhidos, todos pertinentes e englobam basicamente tudo o que a gente precisa para se atualizar. Estou muito contente. A Dra. Ângela Beatriz Bactoldi, que também é de Santo Antônio da Platina, no Paraná, disse que acredita que o Congresso foi cuidadosamente planejado. Os temas foram muito práticos, de consultório. A maneira que cada tema foi apresentado também me agradou muito. Tudo foi muito interessante.

A Dra. Sandra Scalco, de Porto Alegre, Rio Grande do Sul disse que o Congresso está muito bom. O padrão científico, medicina baseada em evidências, as dicas, a parte prática, palestrantes de excelente qualidade. O que está sendo discutido, está muito bom. Ela, que é sexóloga e faz parte da Comissão Nacional de Sexologia da Febrasgo, deixou ainda uma sugestão, para que na próxima edição tenha um espaço maior para o tema, que segundo ela, é uma demanda que o ginecologista deve se apropriar, já muitas pacientes levam para o consultório queixas sexuais. 

img

img

img

img

imgimg

imgimg


<< Voltar





Filiada à: febrasgo